domingo, 24 de abril de 2016

Mulher Moderna



O que é ser uma mulher moderna? Passei a me questionar sobre esse tema após um comentário de um amigo: “Você quer ser uma mulher moderna com valores tradicionais, isso te torna meio complexa de entender.” Verdade.

A origem de algumas palavras dizem muito, Moderna, por exemplo, vem do latim e quer dizer “modus atual”. A palavra Tradição, também, significa passar adiante. Valor, por sua vez, significa riquezas, bens. Um homem de valor é um homem do bem, rico em caráter, honestidade, e todas as qualidades que hoje formam um conjunto de valores.

Valores são passados adiante exatamente no intuito de não mudar. Logo, por mais que o modus operandis mude, os valores não devem ser alterados. Até as empresas possuem sua missão, visão e valores, às quais todas as ações devem ser subordinadas, e quando fogem desta diretriz, impacta o fundamento da organização.

Para as pessoas não deveria ser diferente. Mas não temos o costume de agir fundamentados por valores, ou por vezes, temos alguns nos guiando, mas desconhecemos quais. Isso causa estranheza diante de quem possui um mínimo de noção sobre quais os valores que o move. Gera “complexidade” de Com – “junto” e Plectere - “tecer, entrelaçar”, algo que se mistura, se confunde no todo, que não é tão fácil de categorizar.

Hoje é comum ver pessoas guiadas pela moda, ou seja, o que alguém decidiu que deve ser valorizado nos tempos atuais. Desde hábitos de consumo, de leitura, de estudo, de política, entretenimento. Sempre somos guiados por algo, se não por escolha consciente, certamente por forma inconsciente.

Se pegarmos como exemplo algumas mulheres de destaque na Bíblia, (Rute, Ester, Ana, Sarah, Rebeca, Isabel, Maria, as irmãs Marta e Maria, Priscila, Lóide e Eunice - avó e mãe de Timóteo), dificilmente, na era moderna elas adotariam atitudes diferente das que tomaram nos relatos descritos. Talvez a forma mudasse, mas os valores que as moviam seriam os mesmos.

E se existe um guia imutável de princípios e valores “tradicionais” é exatamente a Palavra de Deus. Muitos anos se passaram entre Genesis e Apocalipse, e deste Apocalipse até os tempos modernos. Muitos costumes e leis foram criados, substituídos, renovados; muitos erros cometidos pelo homens, contudo a base de tudo permanece a mesma. Não à toa os livros são chamados testamento.

Então, realmente, por mais que hoje exista um movimento feminista igualitário, cheio de manias e requerendo direitos, muitos deles vistos superficialmente justos, sem entrar no mérito da questão, se em alguma coisa me assemelho à mulher “moderna” é mera coincidência. Sou sim uma mulher igual às demais, pois a essência feminina foi criada por Deus, e por mais feminista, ou machista, uma mulher será sempre uma mulher, criada para ser ajudadora idônea do homem. E viu Deus que tudo quanto tinha feito era muito bom.

Após esse capítulo, com a entrada do pecado no mundo e todas as “escolhas” guiadas por esse princípio em TODA a raça humana, muita água rolou por baixo da ponte, mas a misericórdia do Senhor permanece.

Porquanto o que era impossível à lei, visto que se achava fraca pela carne, Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança da carne do pecado, e por causa do pecado, na carne condenou o pecado.
Para que a justa exigência da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. (Romanos 8: 3-4)



Sou uma mulher igual às demais, com valores sólidos. O que veio de família foi fruto direto da mesma fé, semelhante aos valores de Timóteo herdados da mãe e da avó. Por sua vez, o que na família desvirtuou-se devido às influências do mundo, deixei para traz.

Por fim, outra citação:

Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. (Romanos 8: 30-39)