segunda-feira, 22 de junho de 2015

Todo Mundo


Todo mundo é libertino, mentiroso, invejoso, todo mundo é... resumindo: PECADOR. Minha maior dificuldade ao longo da vida foi me comparar com todo mundo e com isso achar que eu estava errada! É realmente desconfortável nadar contra a correnteza e ao mesmo tempo sentir-se um peixe fora d’água; não se pode nadar fora d’água.

Algumas constatações a que as pessoas chegavam a respeito do ser humano, como as que iniciaram este post me chocavam, pois são verdadeiras. E sendo verdadeiras deveriam se aplicar a mim também. Mas não se aplicam. Hoje, sempre que me vejo numa situação destas, contada com aqueles que descem ao abismo (Sl. 88:4), eu me lembro do que disse o Senhor Jesus, pouco antes do Calvário:

“Não são do mundo, como eu do mundo não sou”. João 17:16

Que bendita verdade revelada pela boca do próprio Salvador! Todos os Cristãos não são do mundo. Estamos no mundo para testemunhar do Senhor e levar outros a Ele. Tudo por aqui passa; toda glória, beleza, prazeres e riquezas terrenas são escórias para quem foi separado para a vida eterna em Cristo Jesus!

O conflito residia em não saber separar quem eu passei a ser em Cristo do que eu era na velha natureza que habita em mim. A velha natureza, carnal, com sua luxúria, cobiça, ira, e tantas obras muito bem ilustradas na Palavra de Deus. A carne faz parte de todo mundo. E se eu der ouvidos a ela, se eu quiser dar ouvidos a ela, serei uma reles “todo mundo” sem tirar nem por.

Graças a Deus, cada dia mais tenho me afastado da minha velha natureza. Não por esforço próprio, mas pelo poder do Espírito de Deus que habita em mim, pois naquela mesma passagem onde Cristo nos revela a separação do mundo, ele roga a Deus que nos livre do mal. Quem intentará desconfiar da intercessão do Filho amado de Deus que morreu por nós sendo todos ainda pecadores?

Pode parecer, num certo momento, reconfortante colocar-se entre todo mundo para justificar-se. Pois muito melhor é estar fora do mundo para Aquele que nos justificou!

Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Gálatas 5:16


sábado, 6 de junho de 2015

Pó da terra


E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. Gênesis 2:7

Desde pequena minha mãe me ensinou o hábito de sempre varrer a casa e tirar o pó dos móveis toda manhã, antes de qualquer outra tarefa. Na verdade só dava tempo de escovar os dentes e tomar café. Enquanto eu fui muito pequena, ficava apenas com a tarefa de tirar o pó dos móveis com uma flanela de cor laranja; Quando cresci passei a varrer a casa também.

Às vezes era uma tarefa chata, principalmente quando eu tinha outros planos que a meu ver eram mais importantes. Isso não mudava a rotina. Eu tornava ao pó todas as manhãs. A Bíblia relata que Deus nos fez do pó da terra, o que me diferenciava daquele pó que eu tinha que limpar todo dia é o fôlego de vida soprado pelo Criador.

O pó é sujo, acumula ácaros. Mesmo morando num bairro pavimentado ele acumula e fica estático nos móveis recém-limpos todos os dias! Quando o pecado entrou no mundo, Deus disse a Adão que do pós saíste e ao pó tornarias. Realmente o destino da carne é o pó, sem a alma vivente nosso corpo vira uma sujeira que requer limpeza por ser incômoda.

Acredito que mesmo enquanto estamos vivos é necessária uma higiene constante para nos purificar da velha natureza. Porque se a carne volta à sua origem, a alma não segue o mesmo rumo.

E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno. Daniel 12:2

A rotina na minha casa mudou, minha mãe segue com a tarefa de higienizar a casa, mas com a necessidade de sair cedo para trabalhar, a faxina por minha parte fica para os finais de semana. No entanto, como cristã, percebi que agora é de mim que devo sacudir o pó todas as manhãs antes de qualquer coisa.

O pó representa a morte, como disse um irmão chamado Norman Berry. Nos evangelhos o Senhor Jesus orientou os discípulos a sacudir o pó dos pés ao sair das cidades onde não aceitassem o Evangelho do Reino. Qualquer vestígio de morte deveria ser deixado para trás. Temos que sacudir o pó de tudo aquilo sobre nós que não aceita estar sob a graça salvadora de Cristo!

Todo juízo próprio, “livre-arbítrio”, desejos e flertes com o mundo. Tudo isso pertence ao velho homem, para vergonha e desprezo eterno. O pó não dá para contar, então não tem como listar tudo que tenho que limpar diariamente. O importante é não negligenciar a faxina.

Assim também vós considerai-vos certamente mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Romanos 6:11

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Um nome sobre todo nome






Alguém já imaginou que Deus nos conhece pelo nome? Ele nos chama pelo nome. O Senhor Jesus e seus anjos estão agora chamando-nos pelo nome para pertencer ao Seu corpo, a Igreja. Estive nos últimos meses me contorcendo espiritualmente achando que Deus a semelhança do que acontece no mundo também me considerava mais uma na multidão.

Depressão é uma doença da carne que infelizmente às vezes aprisiona nossa alma num círculo fechado da memória, que gira em torno dos mesmos sofrimentos, das mesmas tristezas, dói por causa das mesmas feridas.

Durante esse período alguns irmãos tentaram me convencer do contrário, usaram exemplos como o da pérola do Evangelho de Mateus (13:46), que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito na cruz (João 3:16), entre tantos outros exemplos que focavam o conjunto da Igreja, e naquele momento eu achava que um belo dia o Senhor havia me dito: “Ei você aí, mocinha, eu quero te salvar, vem!”

Que graça! Deus quis me salvar pelo sangue precioso de Jesus derramado na cruz! Cristo ressurreto me justificou diante de Deus Pai. Qual era o problema então? Lembro que meu pai terreno, ex-marido de minha mãe, ele confundia os nomes dos filhos, chamava a mim de Sheila, a Sheila de Camila, o Rodrigo de Luciano e vice-versa, quando não falava todos os nomes de uma vez, por via das dúvidas. Isso porque éramos apenas quatro!

Por algum motivo nos últimos dias comecei a me sentir sem personalidade, sem importância, mais uma, assim como me sentia quando via que meu nome não era lembrado no passado. Você esquece o nome de alguém que você ama? Salvo em situações extremas de doenças que geram esquecimentos, nada justifica tamanho desprezo.

Meu Pai do céu, contudo, me amava, eu sabia disso, eu sei. Só estava tentando entender se o meu chamado foi com um “ei você aí”. Hoje eu descobri que não. Deus possui muito mais que quatro filhos e sabe como cada um é chamado, se ele conhece o nome das estrelas como não saberia o meu nome?

Conta o número das estrelas, chama-as a todas pelos seus nomes. Salmos 147:4

Deus em sua excelente sabedoria mostrou a resposta que eu buscava, onde, talvez, nenhum dos meus irmãos que tentou me socorrer neste período conseguiria encontrar. Pela manhã, curiosamente à hora nona também, eu peguei minha Bíblia impressa, e folheei-a, e me veio a passagem a mente onde Cornélio é chamado pelo nome por um anjo do Senhor:

E havia em Cesaréia um homem por nome Cornélio, centurião da coorte chamada italiana, Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de contínuo orava a Deus.
Este, quase à hora nona do dia, viu claramente numa visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e dizia: Cornélio.
O qual, fixando os olhos nele, e muito atemorizado, disse: Que é, Senhor? E disse-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de DeusAtos 10:1-4

Li o capítulo todo num só fôlego, depois reli, peguei outra versão impressa e fui acompanhando as citações do rodapé, e de repente estava estudando o capítulo, ato que eu estava sentindo muita falta nos últimos dias. Cornélio foi o primeiro gentio convertido ao cristianismo citado na Palavra, era o princípio da Igreja, perfeitamente natural tamanho destaque a esse evento e as personagens envolvidas.

No capítulo anterior não é um gentio, mas um judeu que é chamado, Saulo de Tarso, e esse é chamado pelo próprio Senhor Jesus a quem ele perseguia, afinal, Saulo seria o Apóstolo do ministério aos gentios, e a quem seria revelada toda a doutrina da Igreja.

Seria privilégio de Cornélio e Saulo terem seus nomes conhecidos pelo Senhor? Claro que não! Se espaço e necessidade houvesse o Espírito Santo poderia inspirar um capítulo detalhando o chamado de cada um de nós que cremos no nome de Jesus nosso Senhor! E lá teria o nome de cada um.

Saulo e Cornélio possuíam uma identidade até aquele momento, dali em diante um nome apenas importaria: Jesus Cristo.

Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Filipenses 2:9-11.

Deus sabia que eu era a Camila, e pelo Espírito Santo Ele associou aquela Camila, após ser transformada, ao nome de seu Filho, para sua glória. Tudo tinha uma razão, agora eu sou membro do corpo daquele cujo nome é sobre todo nome, e por menor membro que seja, eu sou do corpo!

E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos.
A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele creem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome.


Atos 10:42-43

Cornélio!





Alguém já imaginou que Deus nos conhece pelo nome? Ele nos chama pelo nome. O Senhor Jesus e seus anjos estão agora chamando-nos pelo nome para pertencer ao Seu corpo, a Igreja. Estive nos últimos meses me contorcendo espiritualmente achando que Deus a semelhança do que acontece no mundo também me considerava mais uma na multidão.

Depressão é uma doença da carne que infelizmente às vezes aprisiona nossa alma num círculo fechado da memória, que gira em torno dos mesmos sofrimentos, das mesmas tristezas, dói por causa das mesmas feridas.

Durante esse período alguns irmãos tentaram me convencer do contrário, usaram exemplos como o da pérola do Evangelho de Mateus (13:46), que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito na cruz (João 3:16), entre tantos outros exemplos que focavam o conjunto da Igreja, e naquele momento eu achava que um belo dia o Senhor havia me dito: “Ei você aí, mocinha, eu quero te salvar, vem!”

Que graça! Deus quis me salvar pelo sangue precioso de Jesus derramado na cruz! Cristo ressurreto me justificou diante de Deus Pai. Qual era o problema então? Lembro que meu pai terreno, ex-marido de minha mãe, ele confundia os nomes dos filhos, chamava a mim de Sheila, a Sheila de Camila, o Rodrigo de Luciano e vice-versa, quando não falava todos os nomes de uma vez, por via das dúvidas. Isso porque éramos apenas quatro!

Por algum motivo nos últimos dias comecei a me sentir sem personalidade, sem importância, mais uma, assim como me sentia quando via que meu nome não era lembrado no passado. Você esquece o nome de alguém que você ama? Salvo em situações extremas de doenças que geram esquecimentos, nada justifica tamanho desprezo.

Meu Pai do céu, contudo, me amava, eu sabia disso, eu sei. Só estava tentando entender se o meu chamado foi com um “ei você aí”. Hoje eu descobri que não. Deus possui muito mais que quatro filhos e sabe como cada um é chamado, se ele conhece o nome das estrelas como não saberia o meu nome?

Conta o número das estrelas, chama-as a todas pelos seus nomes. Salmos 147:4

Deus em sua excelente sabedoria mostrou a resposta que eu buscava, onde, talvez, nenhum dos meus irmãos que tentou me socorrer neste período conseguiria encontrar. Pela manhã, curiosamente à hora nona também, eu peguei minha Bíblia impressa, e folheei-a, e me veio a passagem a mente onde Cornélio é chamado pelo nome por um anjo do Senhor:

E havia em Cesaréia um homem por nome Cornélio, centurião da coorte chamada italiana, Piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de contínuo orava a Deus.
Este, quase à hora nona do dia, viu claramente numa visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e dizia: Cornélio.
O qual, fixando os olhos nele, e muito atemorizado, disse: Que é, Senhor? E disse-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de DeusAtos 10:1-4

Li o capítulo todo num só fôlego, depois reli, peguei outra versão impressa e fui acompanhando as citações do rodapé, e de repente estava estudando o capítulo, ato que eu estava sentindo muita falta nos últimos dias. Cornélio foi o primeiro gentio convertido ao cristianismo citado na Palavra, era o princípio da Igreja, perfeitamente natural tamanho destaque a esse evento e as personagens envolvidas.

No capítulo anterior não é um gentio, mas um judeu que é chamado, Saulo de Tarso, e esse é chamado pelo próprio Senhor Jesus a quem ele perseguia, afinal, Saulo seria o Apóstolo do ministério aos gentios, e a quem seria revelada toda a doutrina da Igreja.

Seria privilégio de Cornélio e Saulo terem seus nomes conhecidos pelo Senhor? Claro que não! Se espaço e necessidade houvesse o Espírito Santo poderia inspirar um capítulo detalhando o chamado de cada um de nós que cremos no nome de Jesus nosso Senhor! E lá teria o nome de cada um.

Saulo e Cornélio possuíam uma identidade até aquele momento, dali em diante um nome apenas importaria: Jesus Cristo.

Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Filipenses 2:9-11.

Deus sabia que eu era a Camila, e pelo Espírito Santo Ele associou aquela Camila, após ser transformada, ao nome de seu Filho, para sua glória. Tudo tinha uma razão, agora eu sou membro do corpo daquele cujo nome é sobre todo nome, e por menor membro que seja, eu sou do corpo!
E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos.
A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele creem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome.


Atos 10:42-43


sábado, 10 de janeiro de 2015

Aos Dez do Primeiro Mês




E falou o Senhor a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo:
Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano.
Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família.
Mas se a família for pequena para um cordeiro, então tome um só com seu vizinho perto de sua casa, conforme o número das almas; cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro.
O cordeiro, ou cabrito, será sem mácula, um macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras.
E o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da congregação de Israel o sacrificará à tarde.
E tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em que o comerem.
E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão.
Não comereis dele cru, nem cozido em água, senão assado no fogo, a sua cabeça com os seus pés e com a sua fressura.
E nada dele deixareis até amanhã; mas o que dele ficar até amanhã, queimareis no fogo.
Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor.
E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o Senhor.

Êxodo 12:1-12

Hoje é o dia dez do primeiro mês do ano, e antes que me digam que o calendário judaico não corresponde ao romano, eu sei. Contudo, como deixar passar essa semelhança tão graciosa? Nesta data do atual calendário romano comemoro meu aniversário, trinta anos!

E o texto acima é uma figura do cordeiro imaculado que seria sacrificado e cujo sangue nas ombreiras e nas vergas das portas protegeria aqueles que ali dentro estivessem do juízo de Deus contra o mal que havia sido cometido e precisava de justiça.

“Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor.”

Há urgência nesta cena, quem já se preparou para uma viagem, e espera a carona sabe como é pela manhã tomar café correndo, pois a qualquer hora pode chegar aquele que vem nos buscar. Claro que não se trata em Êxodo de uma refeição qualquer, aquele cordeiro representa o Corpo de Cristo, Nosso Senhor, alimento para nossas almas.

Neste aniversário, posso dizer, que nos batentes da porta de minha casa já foi passado o sangue do cordeiro sem mácula. Já preparei sua carne assada no fogo, os pães ázimos (muito importante) e as ervas amargosas, ah, sim! As ervas também! Cada dia mais tenho sido compungida a manter os sapatos nos pés e os lombos cingidos, não temendo a hora do juízo, mas a espera do Senhor!

Sim, Ele prometeu que viria nos buscar, eu creio. Você não? Será que todos os que acompanham meus relatos asseguraram que os batentes de suas portas estão protegidos pelo sangue do cordeiro do dia do juízo? Se não, o que estão esperando? Pode ser que para você não tenha mais trinta anos a frente para que você possa ser salvo pelo sangue de Cristo, pode ser que não haja nem mesmo uma hora, minutos?

Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto. Hebreus 3:7-8

Venha comemorar comigo! Para que quer tenhamos mais trinta anos ou cinco minutos, possamos esperar juntos pela vinda do Senhor!


Porque, qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em sua vinda? 
1 Tessalonicenses 2:19


domingo, 4 de janeiro de 2015

Vontade de morrer





Encontros familiares nos movem fatalmente as histórias do passado, que quase sempre são mórbidas ou tristes; desilusões, acidentes, tragédias, algumas engraçadas e casos felizes poucos. Num breve Déjà vu, lembrei-me de minhas expectativas de futuro quando ainda era uma menina, lá por voltas dos meus quatorze ou quinze anos.

Seria uma solteirona, sem nunca ter tipo oportunidade de ter um relacionamento sério, sem trabalhar, sem estudar, teria completado apenas o Ensino Médio que àquela altura já estava bem próximo de acabar. Moraria sempre com minha mãe, e depois moraria emprestada com algum irmão.

Triste relato, não? Mas era verdade, graças a Deus não sou muito boa de previsão, mas tudo corria para aquele destino, e eu não tinha como imaginar outra coisa, e nem todos a minha volta. Quando foi que tudo mudou? Quem já sentiu algum tipo de tristeza, depressão, já vivenciou algum tipo de angústia extrema, sem nenhuma previsão de luz no final do túnel, certamente já sentiu em consequência uma vontade enorme de morrer.

Esse é o cume do sofrimento humano. Muitos falam que isso é egoísmo, visto de fora é fácil enfiar o dedo na cara do próximo e julgá-lo. No entanto, descobri a tempo que nunca deixaremos a existência! A nossa própria morte não nos salva de toda vaidade e aflição de espírito.

Um dia Deus, olhando para toda a aflição humana, todo o pecado que o dominava, vendo toda Sua criação sujeita a escravidão do pecado e a Satanás o príncipe deste mundo, Deus também desejou a morte. Na verdade Ele já tinha determinado que o salário do pecado seria a morte, e ao pai do pecado e seus anjos Ele já tinha preparado o lago de fogo (Mateus 25:41).

Deus também quis a morte da carne. E providenciou um sacrifício santo para fazê-lo em lugar de todo homem pecador. Jesus Cristo, seu Filho: “Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos” (1 João 4:9). É sabido para que Deus enviou Seu filho ao mundo, para morrer na cruz, para glorificar a Deus consumando a obra que era segundo a vontade do Criador (Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer - João 17:4), Jesus Cristo, Senhor nosso, foi eleito o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, e assim todo aquele que nEle crê não será condenado, não precisará sofrer para sempre, na terra ou fora dela.

Saber todos sabem, como disse acima é sabido, mas por que nem todos creem? Quão solene é viver ou desejar morrer sem que tenhamos tão grande salvação aceita antes da derradeira hora! Deixei no ar uma pergunta no início que agora posso responder quando tudo mudou? Quando conheci Cristo Jesus, meu Senhor e Salvador.

Hoje ainda sou solteira, mas já estudei, conclui vários cursos, trabalho e sou objeto de curiosidade de quem pouco me viu no passado porque eu não saia de casa! E isso é bem pouco, é apenas consequência de estar consciente de que não sou mais prisioneira dos meus medos e pecados. Eu, assim como minha amiga Nina, temia ser crente, hoje eu sou cristã com muito amor! E é engraçado que hoje é mais comum desejar a morte do que antes, só que noutro sentido, desejo frequentemente a morte das obras da carne.

Quando temos a certeza de que nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, sabemos que nossas aflições por mais dolorosas que sejam têm um propósito nEle e para Ele.

Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.

Quando aceitamos essa verdade podemos nos despedir de quem amamos, se soubermos que esta pessoa já aceitou o Sacrifício do Cordeiro de Deus, sabemos que um dia a veremos novamente e que ela na verdade recebeu o gozo de estar com o Senhor antes de nós, mas em breve estaremos com ambos! Quão urgente é que recebamos essa verdade!

Não estou falando de religião, não falo de nada além de Jesus Cristo e sua obra. Religião não salva: Cristo salva. Conselhos não salvam: Cristo salva. Boas obras não salvam: Cristo salva. A nossa morte não salva: a morte de Cristo foi para salvar aquele que crer, e sua ressurreição foi para nos justificar!

Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.
Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; Romanos 8:2-3



O Pregador





Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade. Eclesiastes 1:2

Mais um ano se passou e as coisas continuam bem parecidas! Aqui em minha rua, um jovem acorda com as galinhas, muito bem disposto a pregar nas ruas. Tecnologicamente munido de uma caixa de som e uma trilha sonora em Mp3 de músicas gospel de todo ritmo, arrocha, samba, rap... sim! Rap gospel que minha mãe chama de música dos Racionais!

Claro, que ele acorda cedo para dar um tiro no pé todo dia, porque ele não consegue nada com sua barulheira irritante e seu discurso de que crê em Jesus, e de que todos o acham louco, mas a sabedoria de Deus é loucura! Isso é uma forma de distorcer o que realmente nosso Senhor Jesus quis dizer com esta passagem e afastar aqueles que não creem da fé em Cristo.

Eis aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu eleito, em quem se apraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele; ele trará justiça aos gentios”.
“Não clamará, não se exaltará, nem fará ouvir a sua voz na praça.” Isaías 42:1-2.

Quão triste é passar por estes pregadores de praças públicas e ouvi-los mais rogando pragas apocalípticas do que pregando as Boas Novas da Salvação!

E Paulo, como tinha por costume, foi ter com eles; e por três sábados disputou com eles sobre as Escrituras,

Expondo e demonstrando que convinha que o Cristo padecesse e ressuscitasse dentre os mortos. E este Jesus, que vos anuncio, dizia ele, é o Cristo.” Atos 17:2-3